segunda-feira, 15 de julho de 2013

Como Plantar Uva




videira é uma planta sarmentosa, de hábito trepador, sendo a fruta mais produzida no mundo. Pertence à família Vitaceae e ao gênero Vitis, se apresentando em espécies diversas, destacando-se a Vitis vinifera – produz frutos apropriados à produção de vinho, de origem européia – e a Vitis labrusca e outras, adequadas para servir de porta-enxerto ou para produzir uvas de mesa, sendo originárias da América do Norte.
Do volume total de uvas produzido no mundo, cerca de 80% é usado no fabrico de vinhos e outras bebidas alcoólicas, 10% para o consumo como fruta fresca de mesa, 5% no fabrico de uvas passas e 5% para fabricação de sucos. No Brasil, cultiva-se em torno de 70.000 hectares, sendo mais da metade no Rio Grande do Sul, principalmente na exploração de uva para processamento.
Estacas de porta-enxerto podem ser plantadas diretamente no campo em julho e agosto, enquanto que mudas de porta-enxerto enraizadas em recipiente plástico devem ser plantadas de outubro a dezembro. Nos dois casos, a enxertia com a variedade copa deve ser feita em julho e agosto do ano seguinte.
Depois de aprender como plantar pera, vamos ver agora como plantar uva.

Como Plantar Uva

Como Plantar UvaNo caso de mudas já enxertadas provenientes de viveiro, as de raiz nua devem ser plantadas de julho a agosto, e no caso de mudas de torrão, plantar de outubro a dezembro.
Textura areno-argilosa, relativamente férteis, bem drenados, com pH ideal numa faixa de 5,0 – 6,0, declividade inferior a 20%. As propriedades físicas do solo adquirem maior importância que sua fertilidade natural, pois por meio das fertilizações consegue-se suprir as necessidades nutricionais do parreiral.
O solo deve ser leve, profundo, sem a presença de rochas grandes e camadas impermeáveis de argila, e com boa drenagem.
Mesmo sendo considerada uma cultura de clima temperado, em razão de ocorrer queda de folhas no outono, a videira apresenta ampla adaptação climática. Apresenta melhor desenvolvimento em regiões de clima mediterrâneo, ou seja, verões secos e quentes, e invernos frios e chuvosos.
A luz afeta marcantemente a produção e o acúmulo de açúcares, e, conseqüentemente, a qualidade, com elevada exigência de luminosidade no período de crescimento (da floração até a maturação).
A temperatura é outro fator climático importante, sendo a faixa de temperatura ótima para crescimento entre 15 e 30º C. Influencia não só a fotossíntese e a produtividade, mas também a duração do ciclo fenológico (dias entre floração e colheita).
Assim, regiões de temperatura média mais elevada permitem obter produções mais precoces, possibilitando até, caso seja possível controlar o fornecimento de água, mais de um ciclo por ano.
A videira necessita de um período de repouso (dormência) hibernal para desenvolvimento adequado das gemas, crescimento vegetativo vigoroso e boa frutificação. O repouso é induzido por condições de baixas temperaturas nas regiões de clima subtropical e temperado, e por déficit hídrico em regiões de clima tropical semi-árido.
As exigências hídricas da videira se situam entre 500 e 1200 mm, dependendo do clima e da duração do ciclo.
Deve-se evitar plantar em locais expostos a ventos fortes, ou caso não seja possível, fazer uso de quebra-ventos.

Plantar Uva

Como Plantar Uva: Variedades

As variedades de videira podem ser classificadas em quatro grupos:
  • Rústicas de mesa: Também chamadas de uvas comuns São rústicas pela maior resistência a algumas doenças e maior facilidade em alguns tratos culturais. Seus frutos apresentam polpa que se desprende facilmente da película (casca), servindo assim ao consumo ao natural. Também são utilizadas com fins industriais, para a produção de vinhos, sucos, destilados, vinagre e geléia. Geralmente são de espécies americanas ou híbridas. As principais variedades são: Niágara Rosada, Niágara Branca, Madalena e Isabel, dentre outras.
  • Finas de mesa: A elevada qualidade dos frutos favorece o consumo ao natural. São da espécie Vitis vinifera, sendo extremamente sensíveis a doenças fúngicas. As principais variedades são: Itália, Rubi, Benitaka, Brasil, Red Globe, Piratininga, Ribier, dentre outras.
  • Sem sementes: São chamadas de apirenas ou apirênicas ou sem sementes pela ausência completa ou presença apenas de vestígios de sementes. Geralmente são da espécie Vitis vinifera, ou de híbridos desta com outras espécies. As principais variedades são: Perlette, Centennial e Thompson Seedless.
  • Uvas para vinho: Seus frutos são utilizados como matéria-prima para produção de vinhos finos de excelência, devido ao elevado potencial de acúmulo de açúcar nas bagas. Geralmente são de espécies européias. As principais variedades são: Cabernet Sauvignon, Syrah, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay, Tannat, Malbec, Nebbiolo, Carmenére, Sauvignon Blanc, Zinfandel, dentre outras.

Como Plantar Uva: Custo de Instalação

A enxertia é prática comum e imprescindível, não somente pela precocidade, mas também pelo maior vigor e resistência a pragas de solo apresentado pelas variedades utilizadas como porta-enxertos.
Considera-se 3 anos o período de formação do pomar, os custos de implantação são bastante variáveis em função de uma série de fatores como tipo da uva, forma de condução, grau de ocorrência de pragas e doenças, irrigação, dentre outras. Os custos se situam entre 20 e 45.000,00 reais/ha.

Como Plantar Uva: Dicas Práticas

A definição do espaçamento de plantio e da forma de condução das plantas deve considerar uma série de variáveis, dentre elas, a cultivar e sua aptidão, porta-enxerto utilizado, condições climáticas do local, intensidade de mecanização desejado e o sistema tecnológico adotado.
A condução pode ser feita em dois sistemas distintos:
  • Espaldeira: as plantas são conduzidas na vertical, em armações formadas por esteios (postes) com 2 ou 3 fios de arame, sendo mais utilizada para uvas para vinho e indústria. É o de menor custo e de maior facilidade de instalação. Possibilita maior arejamento, com menor incidência de doenças fúngicas. Por permitir maior insolação nos cachos, favorece o acúmulo de açúcares, resultando em maior qualildade para processamento. A produtividade, porém, é menor que na condução em latada.
  • Latada ou Pérgola:as plantas são conduzidas na horizontal, em malhas suspensas a 2 metros do chão. Permite maior desenvolvimento vegetativo e maior produção, porém é o de maior custo.

Como Plantar Uva: Espaçamento

  • Rústicas de mesa: espaldeira: 2 x 1 – 2 m; latada: 2-2,5 x 2 m;
  • Finas de mesa: latada 4 x 3-5 m, 6 x 3 m; latada 3,5 x 3,5 m ou 4 x 3 m;
  • Sem sementes: espaldeira 2 x 1,5 m ou 2 x 2 m; latada 3,5 -4 x 3 – 5m;
  • Indústria: espaldeira: 2 x 1-2 m;

Como Plantar Uva: Calagem e Adubação

Antes da formação do vinhedo, aplicar o calcário em área total, para elevar a saturação por bases a 80%, na camada de 0-30 cm. Em vinhedos já instalados, aplicar o calcário em área total, antes da poda, incorporando-o ligeiramente ao solo.

Uvas rústicas de mesa e uvas para indústria

  • Adubação de implantação: aplicar, por cova, 10 L de esterco de curral (ou 3 L de esterco de galinha ou 500g de torta de mamona), 1kg de calcário dolomítico, 40 a 80g de P2O5 e 20 a 40g de K2O. Aplicar, em cobertura, aos 60 e 120 dias após o plantio dos porta-enxertos em local definitivo, 20g de N por planta, por vez;
  • Adubação de formação: após realizada a enxertia aplicar, por planta, 20g de N, 10 a 30g de P2O5 e 10 a 30g de K2O, de acordo com a análise de solo. Esses adubos deverão ser aplicados em cobertura, ao lado das plantas, parcelados em três vezes, aos 30, 70 1 110 dias após a brotação;
  • Adubação de produção: para produtividade de 20 t/ha, aplicar 30: t/ha de esterco de curral, 180 kg/ha de N, 100 a 400 kg/ha de P2O5 e 75 a 300 kg/ha de K2O, de acordo com a análise de solo. Na poda do primeiro ano de produção, usar metade dessas doses. Para vinhedos com produtividade de 20 a 30 t/ha aumentar essas doses em 25%. Aplicar 1/2 do P2O5 e do K2O, e 1/3 do N, localizados em sulcos ao lado das plantas um mês antes da poda, junto com o esterco de curral. Aplicar o restante do P2O5, 30 dias após a poda. Parcelar o restante do N e do K2O em três vezes iguais, aos 30 dias após a poda, na fase de “ervilha” e na fase de “meia baga”, espalhando os adubos ao lado das plantas.

Uvas finas de mesa sem sementes

  • Adubação de implantação: aplicar, por cova, 40 L de esterco de curral (ou 15 L de esterco de galinha ou 2kg de torta de mamona), 1kg de calcário dolomítico, 100 a 300g de P2O5 e 50 a 150g de K2O. Aplicar, em cobertura, aos 60 e 120 dias após o plantio dos porta-enxertos em local definitivo, 30g de N por planta, por vez;
  • Adubação de formação: após realizada a enxertia, aplicar, por planta, 60g de N, 50 a 150g de P2O5 e 50 a 100g de K2O, de acordo com a análise de solo. Esses adubos deverão ser aplicados em cobertura, ao lado das plantas, parcelados em três vezes, aos 30, 70 e 110 dias após a brotação;
  • Adubação de produção: para produtividade de 25 a 35 t/ha, aplicar 40 t/ha de esterco de curral, 250 kg/ha de N, 150 a 500 kg/ha de P2O5 e 150 a 400 kg/ha de K2O, de acordo com a análise de solo. Na poda do primeiro ano de produção, usar metade dessas doses. Para vinhedos com produtividade de 36 a 45 t/ha, aumentar essas doses em 25%. Para produtividades superiores a 45 t/ha, aumentar as doses em 50%. Aplicar 1/2 do P2O5 e do K2O e 1/3 do N, em sulcos ao lado das plantas um mês antes da poda, junto com o esterco de curral. Aplicar o restante do P2O5, 30 dias após a poda. Parcelar o restante do N e do K2O em três vezes iguais, aos 30 dias após a poda, na fase de “ervilha” e na fase de “meia baga”, espalhando os adubos ao lado das plantas.
Em caso de deficiência de boro, pode-se pulverizar as brotações com solução de ácido bórico a 0,1%, em 3 aplicações de 7 em 7 dias.

Como Plantar Uva: Podas

Poda seca: divide-se em poda de formação e poda de produção. A primeira visa orientar a formação da copa para sustentar futuras produções, aproveitando melhor o potencial de produção da planta. É executada desde o plantio da muda até que a planta tome o tamanho e o formato desejável. A segunda tem por objetivos manter o equilíbrio entre vigor da vegetação e a produção.
Poda verde: visa suprimir estruturas vegetativas como ramos laterais, folhas, gavinhas, ponteiros, e também estruturas produtivas como alguns cachos e bagas dos cachos. É composta pelas operações de desbrota, desfolha, eliminação de gavinhas e de ramos netos, desponte de ramos, desbaste de cachos, raleio de frutos no cacho e incisão anelar.

Como Plantar Uva: Principais Dúvidas

É bom evitar os defensivos ou não? Os defensivos químicos somente devem utillizados em situações de necessidade comprovada, quando a praga ou doença estiver em níveis de dano econômico, com o máximo de segurança para o aplicador, o consumidor final e o meio-ambiente, respeitando-se o registro para a cultura, a compatibilidade com outros produtos, instruções de uso e prazos de carência, sempre com o respaldo técnico de Engenheiro Agrônomo.
Como ocorre a frutificação, é natural, com a presença de abelhas ou inseto polinizador? A videira se vê beneficiada pela atuação das abelhas como insetos polinizadores.
A cultura deve ser irrigada? Em qual período do ciclo? Apesar de ser planta rústica e com sistema radicular profundo, a utilização de irrigação traz inúmeras vantagens como garantia de produção, maior produtividade e melhor qualidade dos frutos. Adapta-se bem à irrigação localizada (microaspersão e gotejamento).
Há diferenças entre as variedades quanto ao peso ou cor? Sim, existe imensa variabilidade quanto à cor da polpa e da casca, formato, tamanho e número das bagas, tamanho e formato do cacho, dentre outras.
Fonte: Toda Fruta

Nenhum comentário:

Postar um comentário